Utilizando o benchmarking funcional para melhorar os serviços da empresa

benchmarking funcional
7 minutos para ler

O mercado cada vez mais competitivo exige soluções criativas daquelas empresas que querem crescer e se desenvolver constantemente. Nesse cenário, algumas estratégias são uma receita de sucesso.

É o caso, por exemplo, do benchmarking funcional, um conjunto de ações que pode ser utilizado para melhorar produtos, serviços e processos da empresa e, consequentemente, conquistar ótimos resultados.

Neste artigo vamos entender o que ele é e como pode e deve ser utilizado por um gestor. Se você está buscando estratégias de crescimento, não perca tempo: dedique alguns minutos à leitura e prepare-se para mudanças definitivas no seu negócio.

O que é benchmarking?

Trata-se de uma prática muito comum no ambiente corporativo, que consiste em uma comparação de performance como forma de aprendizado e crescimento.

Em outras palavras, por meio do benchmarking uma empresa pode observar os pontos fortes de outra empresa, adaptando aquelas características, atitudes e processos para a sua realidade e se tornando assim, ainda mais competitiva e produtiva.

O benchmarking, então, é uma forma de conhecer e observar aquelas empresas ou departamentos que têm feito um trabalho de excelência, compreender os seus processos e, posteriormente, aplicá-los à sua organização.

Por que o benchmarking pode fazer toda a diferença?

Não é segredo para ninguém que a utilização correta da prática de benchmarking pode trazer excelentes resultados para a empresa. Agora, explicaremos o motivo, acompanhe!

Para corrigir erros

Um dos principais motivos para o sucesso do benchmarking é o fato de que ele permite ao gestor corrigir erros que podem estar prejudicando enormemente os resultados da empresa.

Muitas vezes os gestores e colaboradores estão tão imersos e acostumados com os processos internos da empresa que não percebem quando as ações estão sendo realizadas de maneira equivocada.

Por isso, a comparação com outras empresas pode ser determinante, abrindo os olhos para a necessidade de uma transformação.

Para melhorar a estrutura organizacional

A lógica é muito parecida com a de correção de erros: é frequente que os gestores e sua equipe não percebam algumas falhas na estrutura da organização, por estarem imersos naquela realidade, muitas vezes sem base de comparação.

O benchmarking é justamente a base de comparação necessária: a partir da observação da atuação de outras empresas é possível perceber quais são os pontos da estrutura organizacional que merecem melhorias de forma a estarem cada vez mais alinhadas com as tendências de mercado e próximas daquelas marcas que têm obtido os melhores resultados.

Para trazer mais qualidade para os produtos e serviços

O sucesso de uma empresa depende, em grande medida, da qualidade dos seus produtos e serviços. Assim, qualquer estratégia que possa ser utilizada para melhorar as entregas aos clientes é sempre muito bem-vinda.

Então, mais uma vez, o benchmarking faz toda a diferença. Afinal, por meio dele é possível conhecer a fundo os produtos e serviços de outras empresas, sejam concorrentes diretos ou de outras áreas de atuação, compreendendo então como tornar os próprios produtos e serviços ainda melhores. Muito útil, não é mesmo?

Quais são os principais tipos de benchmarking?

O benchmarking é uma prática que tem dado resultados tão positivos que está se tornando cada vez mais completa e variada. Conheça aqui quais são os principais tipos de benchmarking e quando a sua utilização é mais indicada.

Competitivo

Essa é a modalidade mais tradicional de benchmarking e consiste em comparar a atuação da sua empresa com uma concorrente direta.

Justamente por isso, ela é, também, uma das mais difíceis de serem aplicadas – na grande maioria das vezes os concorrentes não disponibilizam informações internas com facilidade.

Ela é extremamente útil na medida que aponta para o gestor caminhos muito importantes  — conhecer os pontos fortes de um concorrente direto, que tem o mesmo público-alvo, os mesmos desafios e produtos e serviços muito semelhantes, é um grande diferencial para a empresa.

Interno

O benchmarking interno e a comparação dentro de departamentos, áreas ou unidades distintas de uma mesma empresa. Pode ser aplicada com muita facilidade, na medida em que todos estão em busca do mesmo objetivo: o desenvolvimento da empresa.

Entretanto, não deve ser utilizada de forma isolada, já que diferentes áreas podem sofrer dos mesmos vícios e problemas dentro da empresa.

Funcional

Como o nome já antecipa, o benchmarking funcional tem foco em uma função específica dentro da empresa, e consiste na comparação exclusiva daquele processo.

Assim, pode ser feito com empresas de diferentes áreas, sem a necessidade de ser um concorrente direto, o que facilita sua aplicação.

Assim, o benchmarking funcional pode se dar, por exemplo, exclusivamente na área de vendas e atendimento, ou transporte de mercadorias, ou implementação de um software de gestão.

A comparação deve ser feita de maneira aprofundada e completa, permitindo uma transformação profunda na organização.

Genérico

O benchmarking genérico e a comparação com qualquer outra empresa, quando os gestores buscam conhecer práticas distintas para entender quais são aquelas que mais se adaptam à realidade da empresa e podem ser adotadas para melhores resultados e maior produtividade.

Como usar o benchmarking funcional para melhorar os serviços de uma PME?

Todo gestor sabe: uma PME tem que se esforçar bastante para se manter no mercado, entregando produtos e serviços de qualidade em processos cada vez mais produtivos.

Por isso, o benchmarking funcional pode ser uma ferramenta poderosa no crescimento da empresa. Três fatores merecem destaque, confira!

Redução de custos

Compreender como outras empresas realizam determinada função e adotar mudanças para tornar a realização na sua empresa cada vez mais eficiente e efetiva tem grandes impactos nos custos operacionais ao final do mês.

Por isso, reduzir custos é sempre uma grande conquista, pois permite investimentos em outras áreas, tornando as melhorias ainda mais substanciais.

Aumento de produtividade

A máxima “tempo é dinheiro” ainda não saiu de moda. Cada vez mais as empresas estão preocupadas com produtividade, desempenho e otimização de processos. Assim, nada mais natural do que aprender com quem está na frente, não é mesmo?

Um dos grandes pontos positivos do benchmarking funcional é que ele permite que a empresa altere seus processos de forma substancial, a partir da inspiração de outras empresas.

Composição de parcerias

Como o benchmarking funcional não é realizado com concorrentes diretos, ele permite o estabelecimento de um diálogo transparente e objetivo. Nessa situação, é possível conhecer grandes parceiros para a sua empresa e realizar trocas enriquecedoras e inspiradoras.

O benchmarking funcional é uma estratégia de crescimento importante para a empresa. Esse conjunto de ações pode ser muito útil para a melhoria dos processos, serviços e produtos de uma companhia. Com o auxílio dessa prática, os gestores podem alcançar resultados cada vez melhores.

Viu como o benchmarking funcional é uma prática promissora para a sua empresa? Para receber novidades sobre o mercado e conteúdo relevante e atualizado, assine a nossa newsletter!

Você também pode gostar

2 thoughts on “Utilizando o benchmarking funcional para melhorar os serviços da empresa

Deixe um comentário