Planejamento financeiro empresarial: tudo o que você precisa saber

18 minutos para ler

A falta de controle nas finanças pode gerar um quadro caótico, levando a empresa até mesmo a falência. Em contrapartida, um planejamento financeiro empresarial bem elaborado não é só capaz de organizar o setor, como contribui com o fortalecimento e expansão da marca no mercado.

Não há dúvida de que a elaboração de um planejamento deixou de ser um diferencial e passou a ser uma ação imprescindível dentro da empresa — independentemente do segmento. A questão-chave nesse contexto é: como começar essa tarefa do zero?

Para ajudar você a tirar de letra a missão, preparamos um conteúdo especial que aborda desde o conceito e a importância do planejamento financeiro empresarial até os benefícios e, claro, como desenvolvê-lo e colocá-lo em prática. Confira!

O que é um planejamento financeiro empresarial?

Como o próprio nome sugere, o planejamento financeiro empresarial nada mais é do que a parte do plano de negócios da empresa que diz respeito às finanças. No documento devem constar as diretrizes para que o negócio seja lucrativo, garantindo, assim, o controle do caixa. Em outras palavras, o planejamento é responsável por manter o saldo da empresa no azul.

Não entendeu? É simples. O planejamento consiste na projeção de receitas e despesas da organização com o propósito de indicar a real situação econômica do empreendimento. Com essa estratégia, é possível entender melhor as transações internas, verificando a rentabilidade do negócio. Assim, você detectará o quanto de dinheiro tem disponível no seu caixa, estabelecendo quais os devidos fins de cada recurso, ou seja, a melhor forma de direcionar o dinheiro.

Importante ressaltar que o planejamento financeiro empresarial requer, periodicamente, uma atenção especial. O ideal é atualizá-lo anualmente. Além do mais, não comenta o erro de deixar para pensar no assunto apenas quando começa o ano. Se for possível, tente inicia-lo sempre nos últimos meses do ano. Assim, no início do novo ano, você já terá tudo preparado.

Dica: O método PDCA — Plan, Do, Check e Act , ou seja, Planejar, Executar, Verificar e Agir — é um forte aliado para a concretização de um planejamento estratégico. Capaz de ajudar na tomada de decisões, a ferramenta é utilizada na parte administrativa em geral e foca, sobretudo, nos resultados. Ela permite a otimização de processos, produtos e serviços, promovendo melhorias contínuas na gestão.

Para que serve um planejamento financeiro empresarial?

A elaboração de um plano financeiro compatível com a realidade da empresa proporciona o devido suporte para que o empreendedor tome decisões sábias e acertadas, já que ele tem em mãos informações precisas sobre a situação do caixa da empresa. Vale ressaltar que o planejamento deve contemplar as ações tanto a curto quanto a médio e longo prazo.

Mas não basta apenas construir um planejamento adequado. É preciso segui-lo à risca, colocando em prática as ações e etapas propostas. Lembre-se que somente assim você conquistará a estabilidade financeira do seu negócio, alçando voos cada vez mais altos. E o melhor: com a devida segurança.

Além do mais, por meio do planejamento financeiro, você poderá compreender melhor a sua empresa como um todo, identificando, inclusive, os pontos que precisam ser aprimorados. Isso sem falar que o planejamento permite que o empreendedor localize e elimine os gastos desnecessários, reduzindo, assim, os custos operacionais.

Qual a importância do planejamento financeiro empresarial?

O desenvolvimento completo e correto do planejamento financeiro contribui com projeções, análise e aplicação dos recursos — nos devidos momentos. Sem ele, é quase impossível o financeiro projetar custos e reconhecer as oportunidades mais promissoras para o seu negócio.

Nesse contexto, o planejamento se torna essencial, já que proporciona ao empresário total clareza sobre as movimentações — tanto no que diz respeito às despesas, quanto também às receitas e aos custos extras.

A partir do momento que você consegue realizar uma análise aprimorada desses dados, juntamente com um estudo minucioso do mercado, incluindo concorrentes e perfil cliente, o planejamento se torna umas das principais estratégias do negócio, garantindo o crescimento da empresa de forma sustentável e orgânica. 

Não se esqueça, também, que o planejamento diminui consideravelmente as chances da empresa passar por dificuldades financeiras e, com isso, a possibilidade de falir. Afinal, o mal uso dos recursos está diretamente ligado com o fracasso de uma organização.

Fica evidente, então, que a administração das finanças, por meio de um plano concreto e bem estruturado, consegue melhorar os seus resultados, tratando os orçamentos financeiros de forma mais dinâmica e efetiva.

Fato é que o planejamento financeiro se faz peça essencial para a manutenção da empresa, e como consequência, para o seu crescimento. Ele ajuda o gestor a estabelecer objetivos mensuráveis e controlar adequadamente a saída e entrada do dinheiro. Isso proporciona mais confiança no negócio, além de garantir a saúde financeira do estabelecimento.

Quais os benefícios do planejamento financeiro para a empresa?

Não resta dúvidas sobre o conceito e importância do planejamento financeiro empresarial, certo? Como já dito, ele é um dos pilares de um negócio bem-sucedido.

Quer saber agora quais são, então, os principais benefícios do planejamento e porquê ele é indispensável dentro da organização? Continue a leitura!

Informações precisas

Ao elaborar o planejamento e seguir à risca as diretrizes, você terá em mãos informações fiéis, ou seja, que correspondem de fato à realidade financeira do negócio. Isso permite o controle pleno sobre as operações, além de reduzir a possibilidade da empresa ser lesada — seja por meio de ações internas ou por fatores externos.

Tal característica é uma vantagem e tanto, principalmente para as organizações em que os responsáveis pelo caixa são profissionais terceirizados.

Tranquilidade financeira

Quando você abriu uma empresa qual era o seu principal objetivo? Possivelmente conquistar a independência financeira e a tão sonhada estabilidade, certo? É aí que o planejamento financeiro se torna um verdadeiro aliado, uma vez que proporciona mais segurança para o empresário, contribuindo com a tranquilidade nas finanças.

Chega de viver preocupado com o dia de amanhã. Ao desenvolver um planejamento, levando em consideração as particularidades do seu negócio, você conseguirá, enfim, manter as contas no azul e se programar para o futuro.

Redução de gastos supérfluos

Você já colocou na ponta do lápis todos os gastos da empresa — desde pagamento dos funcionários até aquele cafezinho concedido para a equipe no meio da tarde? Percebeu, então, que as despesas não são nenhum pouco baratas, não é mesmo?

Nesse sentido, um dos benefícios do planejamento financeiro empresarial é que você será capaz de identificar quais são os pontos, ou melhor, os gastos, que precisam ser revistos. Afinal, existem despesas que podem muito bem ser cortadas ou pelo menos reduzidas.

No final, você economizará um montante considerável — como já alertava a sabedoria popular: de pouco em pouco, a galinha enche o papo.

Previsão para o futuro

Claro que ninguém tem bola de cristal para dizer com detalhes o que acontecerá no futuro. Contudo, com um bom planejamento e o devido controle financeiro, o gestor poderá definir alguns objetivos plausíveis, separando uma quantia adequada para cada uma das suas metas.

Será possível projetar cenários e investimentos, crescendo de forma planejada e bem estruturada — seja por meio da ampliação de unidades ou por meio da diversificação de produtos e serviços.

Além do mais, você conseguirá reservar uma quantia para o aprimoramento e inovação do negócio, fazendo com que a sua empresa saia na frente dos concorrentes. Lembre-se que as organizações que não se atualizam tornam-se obsoletas e perdem espaço no mercado.

Como fazer um planejamento financeiro empresarial eficiente?

De nada adianta saber na teoria a importância do planejamento, mas não ter o devido conhecimento para colocá-lo em prática na sua empresa. Por isso, reunimos a seguir dicas para ajudar você a montar um plano infalível, que vai contribuir com o controle preciso dos recursos do seu negócio, além de alavancar os seus resultados. Acompanhe!

Defina os objetivos e estratégias

O primeiro passo para elaborar um planejamento financeiro empresarial impecável é determinar os objetivos. Qual a principal meta da empresa daqui a 5, 10, 15 anos? Essa é uma questão que deve ser respondida com consciência.

Mas não para por aí. É preciso também definir as estratégias necessárias para alcançar os planos futuros. Isto é: quais ações serão realizadas para conquistar os objetivos? Perceba, então, a importância de detalhar cada etapa. Afinal, de nada adianta ter projeções otimistas para o futuro, mas não saber como atingi-las.

O investimento nos processos operacionais e também na capacitação da equipe devem constar no planejamento. Até porque o capital humano é um dos principais pilares dentro de uma organização. Inclusive, ele está associado, mesmo que indiretamente, ao sucesso de uma empresa.

Lembre-se de que todo o cronograma precisa ser alinhado ao propósito do empreendimento, sobretudo no que diz respeito ao aspecto financeiro.

Faça um plano orçamentário

Se um investimento não cabe dentro do orçamento, não precisa nem discutir. Afinal, você não quer correr o risco de gastar mais do que ganha e entrar na perigosa faixa do vermelho, certo? Contudo, como saber se determinado investimento ou ação é possível ou não?

É nesse contexto que surge a importância de criar um plano orçamentário, que vai ajudá-lo a definir os valores necessários para a manutenção e aprimoramento de cada área da empresa.

O planejamento orçamentário nada mais é do que um plano estratégico para a gestão empresarial, baseado no cálculo das receitas e despesas da empresa em um determinado período. Ele representa a estimativa de entrada e saída dos recursos, proporcionando, assim, uma boa noção do lucro líquido.

Essa estimativa é essencial, uma vez que possibilita ao empresário se preparar para o futuro, sem precisar de realizar empréstimos com juros exorbitantes, o que, sem dúvida, compromete a saúde financeira do empreendimento. Em relação as despesas, o ideal é fazer o cálculo um pouco acima do esperado, evitando surpresas desagradáveis.

Organize o fluxo de caixa

A falta da organização no fluxo de caixa é um problema preocupante e grave. Para resolver a situação, é preciso antes de tudo encontrar o motivo que origina o descontrole. Afinal, só é possível romper um hábito após identificá-lo.

Para começar, deixe apenas uma pessoa responsável pelo financeiro. Assim, ela terá que assumir qualquer desencontro de valores no caixa. Além do mais, separe as contas da pessoa jurídica daquelas oriundas da pessoa física. Pode parecer uma dica óbvia e simples, mas acredite: muitas situações difíceis começam por esse péssimo costume.

Ao vincular as contas, o gestor perde praticamente o controle do setor financeiro. Ele não sabe distinguir, por exemplo, quais são as despesas e nem mesmo o lucro da organização. Não são raros os casos em que ele utiliza dinheiro próprio para quitar contas da empresa e vice-versa, já que não consegue separar vida pessoal da empresarial. O resultado, como se pode imaginar, beira o desastrosos.

Então, abra uma conta para a PJ de acordo com o regime de tributação do empreendimento. É importante, também, estabelecer um pró-labore justo, de acordo com a sua função. Não é porque a empresa é sua que você pode tirar dela o valor que quiser.

Registre todas as movimentações

Outra ação indispensável para desenvolver um planejamento bem estruturado e fiel, é registrar detalhadamente as transações empresariais. Isso significa que toda movimentação deve ser contabilizada.

O motivo? A falta do acompanhamento gera uma visão distorcida não só das finanças, mas do negócio como um todo, o que dificulta a identificação de problemas. Já o controle correto e exato das transações permite que você saiba qual o retorno sobre o investimento, além de oferecer mais segurança nas decisões, sobretudo nas mais complexas.

Por isso, não pense duas vezes para adotar estratégias capazes de controlar as movimentações financeiras adequadamente.

Vale a pena, inclusive, investir em ferramentas especializadas, que não só registram as operações como também apresenta um relatório completo sobre as finanças, que é capaz de ampliar sua visão sobre o negócio. Elas ainda fornecem diversos indicadores de desempenho, o que por si só já é uma grande vantagem.

Pague as contas em dia

Não precisa dizer que pagar os boletos em dias é vital para manter as contas equilibradas, certo? Mas imprevistos podem acontecer e aí cabe a você intermediar a situação. Ligue para o fornecedor, por exemplo, e negocie o valor pendente. Peça para prorrogar o boleto — nem que seja por uma semana. Caso não seja possível, verifique qual o valor do juro para estender o pagamento.

O que não pode é pagar juros e multas extraordinários devido à má administração. Até porque essa é a fórmula certa para criar uma verdadeira bola de neve e deixar as finanças extremamente bagunçadas.

Por isso, é importante escolher bem as suas parcerias empresariais, já que um bom relacionamento com o fornecedor facilita o dia a dia organizacional e abre muitas portas. Procure por empresas que honrem o compromisso firmado e que contem com preços competitivos.

Também analise as condições de pagamento — em quantas vezes a mercadoria pode ser parcelada, qual o prazo para a primeira parcela, o valor do frete, se existe um pedido mínimo de produtos e outras questões que interferem no financeiro, assim como no preço final do produto. A qualidade da mercadoria é outro item que merece atenção redobrada.

Vale frisar, ainda, que ao efetivar os pagamentos nas datas corretas, você não só minimiza a chance de endividamento como também consegue negociar condições mais favoráveis com os fornecedores.

Faça uma projeção com diferentes cenários

Quem dera se fosse possível adivinhar o futuro, não é mesmo? Claro que não existe fórmulas mágicas capazes de mostrar com exatidão o que nos espera nos dias e anos seguintes. Contudo, com um bom planejamento, o gestor estará preparado para lidar com qualquer situação.

Por isso, é importante constar no plano, a projeção de diversos cenários, desde os mais complicados até os mais simples. Assim, você vai ter uma carta na manga quando se deparar com determinado episódio.

Para tanto, como já dito, é preciso fazer um levantamento minucioso das despesas e imaginar o que pode acontecer no futuro. A partir de então, elabore uma solução plausível para cada uma das hipóteses traçadas. Como já dizia o ditado: é melhor prevenir do que remediar, concorda? Vale ressaltar que ao adotar essa ação, você dificilmente passará por uma crise.

Monitore a execução do planejamento e mensure os resultados

Pense bem: como saber se os planos traçados estão surtindo o efeito esperado se não existe nenhum comparativo e nem mesmo métrica? Entenda, então, a importância de mensurar os resultados, garantindo que o planejamento está gerando um retorno positivo.

Tão importante quanto mensurar os resultados é acompanhar a execução do planejamento. Somente assim você terá certeza que os planos são levados a sério. Não caia na armadilha de deixar tudo apenas no papel e não colocar um responsável para acompanhar rigorosamente as implementações das etapas/ações — independentemente de quais sejam.

Considere a ajuda de um profissional

Não é preciso ter vergonha. Nem todos conseguem lidar sozinhos com as finanças, sobretudo quando se está iniciando um negócio. Aliás, são vários os casos de empresários que solicitam a ajuda de um profissional da área, que tem todo o conhecimento necessário para tratar dos assuntos mais burocráticos.

Um consultor ou contador, por exemplo, além de contribuir com o desenvolvimento de um planejamento financeiro compatível com a proposta do seu negócio, também vai mostrar o caminho para obter sucesso. Isso sem falar que eles podem ajudar com as questões tributárias e elaborar planos certeiros de investimento.

Fato é que um olhar externo vai ajudar você a abrir sua mente e expandir sua visão, mostrando novas possibilidades na sua área de atuação.

Quais ferramentas são importantes para fazer o planejamento financeiro empresarial?

As ferramentas necessárias variam de acordo com a empresa. Claro que existem certos aspectos que são comuns em qualquer tipo de negócio, como a gestão do fluxo de caixa e a determinação do orçamento do empreendimento, uma vez que esses fatores são responsáveis por orientar o gestor em relação às metas e aos objetivos da organização.

O ideal, nesse contexto, é optar por uma empresa que personaliza os softwares de acordo com a demanda do cliente. Assim, você terá a solução exata para o seu negócio. Dê preferência para as plataformas que podem ser acessadas de qualquer lugar e que possuem armazenamento em nuvem, evitando, assim, o risco dos arquivos se perderem.

Importante frisar também que existem softwares online que controlam todo o fluxo de trabalho — desde o financeiro até estoque, emissão de boleto e nota fiscal. Além do mais, tais soluções emitem relatórios completos que ajudam o gestor a ter uma visão global da empresa.

Esse cenário permite que você conquiste resultados satisfatórios mais rapidamente e, claro, ganhe tempo para focar na atividade-fim da empresa.

Fato é que o planejamento financeiro empresarial é item indispensável dentro de uma organização. Mas isso é apenas uma das ações necessárias. Uma boa gestão leva em consideração todos os aspectos inerentes ao negócio, como capital de giro, contratação e retenção de talentos, recursos operacionais, produtividade da equipe e outros.

Além do mais, é preciso escolher com sabedoria o modelo de gestão, a partir de práticas e normas já estabelecidas na organização. Lembre-se que o modelo selecionado deve ser capaz de sustentar o desenvolvimento e também a expansão do negócio. Ele deve guiar a empresa de forma que ela seja competitiva e se consolide no mercado.

No mais, o sucesso da organização dependerá da harmonia entre todos os setores. Isso só ocorre por meio de um trabalho gradual e constante, no qual é necessário a implementação de uma cultura organizacional baseada na cooperação e respeito mútuo. O desenvolvimento de um ambiente de trabalho positivo, promovendo o bem-estar e o relacionamento entre colaboradores e alto escalão administrativo também é vital.

Agora que já sabe tudo sobre o planejamento estratégico empresarial, quer conhecer uma metodologia simples e prática que visa uma gestão eficiente? Leia, então, o nosso artigo sobre a metodologia OKR, que busca resultados de alta performance por meio da maximização da produtividade e do aprimoramento da comunicação.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-