Mapa estratégico: o que é, como funciona e qual a importância

mapa estratégico
7 minutos para ler

Essencialmente, a definição de uma estratégia aponta um caminho para a empresa e um modo de trilhá-lo. Sendo assim, o mapa estratégico é fundamental como uma referência para a sua equipe. Então, logo de início, vamos conhecer uma situação em que sua importância é determinante.

Pois bem, em muitas empresas os colaboradores assumem comportamentos e desenvolvem suas atividades sem alinhamento com a estratégia e os objetivos do negócio — especialmente àquelas que cresceram rapidamente e sofrem os efeitos organizacionais disso.

Nesse cenário, é comum que o líder se sinta incomodado. Ele espera que a equipe responda de uma determinada maneira, mas ela não se comporta exatamente como esperado. O mapa estratégico é, justamente, um recurso importantíssimo para ajustar essa sintonia, engajar a equipe e comprometê-la com os objetivos estratégicos do negócio. Confira os detalhes!

O que é o mapa estratégico?

O mapa estratégico é uma representação visual do plano estratégico do seu negócio. Ele condensa as informações que cada equipe precisa para buscar os objetivos da organização e, desse modo, promove um alto nível e alinhamento entre as pessoas, atividades, departamentos e processos com a estratégia da empresa.

Imagine que ele funciona de um modo parecido com um painel de instrumentos para um piloto de avião. A diferença é que você não precisa de anos de estudo e de práticas de voo para saber como operá-lo.

O conceito vai ficar mais claro para você no decorrer deste texto, mas para não deixá-lo sem uma referência teórica, saiba que o mapa estratégico foi desenvolvido em 1992 na Harvard Business School. Os conceituados docentes da instituição o elaboraram como parte do Balanced Scorecard (BSC), a famosa e inovadora ferramenta de avaliação de performance empresarial.

Qual a sua importância?

As empresas modernas precisam de soluções práticas. Um planejamento estratégico pode ser apenas um documento guardado em uma gaveta, se a equipe não tiver um conhecimento objetivo sobre as diretrizes determinadas por ele. É fácil entender o motivo de que isso ocorra.

Mesmo as empresas pequenas estão sujeitas a uma série de variáveis de influência — tanto internas quanto externas. Quando documentamos todos os detalhes que envolvem o negócio, produzimos um conteúdo complexo, que pode ser difícil de ser assimilado com a agilidade e a profundidade necessárias.

Por isso, faz muita diferença quando a empresa disponibiliza as informações relevantes em uma forma de apresentação de fácil entendimento e consulta. O mapa estratégico cumpre perfeitamente essa função.

Para que serve o mapa estratégico?

O planejamento estratégico descreve um plano formal e detalhado para o negócio no médio e longo prazo. Basicamente, ele aponta as fraquezas, forças, ameaças e oportunidades, com um detalhamento das estratégias que permitirão aproveitar os aspectos positivos e minimizar os negativos e, desse modo, garantir o sucesso na busca de resultados.

No entanto, o seu colaborador que emite notas ficais, por exemplo, trabalha concentrado nos procedimentos de sua rotina diária. Ele está focado em elaborar formas de facilitar o trabalho dele para ser mais ágil e produtivo. Por mais comprometido que ele seja com as diretrizes da empresa, elas têm relevância relativa no dia a dia dele.

O mapa estratégico serve como um modelo que liga as estratégias aos processos, como esse do nosso exemplo. Desse modo, cada colaborador tem uma visão mais clara sobre o impacto de cada tarefa dele para os objetivos do negócio. Ao mesmo tempo, também atua de um modo mais alinhado com outros processos que dependem do trabalho dele — como os controles financeiros efetuados pela gerência.

Como funciona?

Lembra que, logo de início, mencionamos que o mapa estratégico é uma representação visual? Sendo assim, ele deve ilustrar a estratégia do negócio, o que é feito com a representação das 4 perspectivas do BSC. São elas:

  • a financeira: relacionada ao retorno do investimento;
  • a perspectiva do cliente: voltada para a satisfação e para as experiências de compra e uso;
  • a interna: envolve inovação, prazos e eficiência;
  • a de recursos e infraestrutura: engloba as pessoas, o capital intelectual, os equipamentos, sistemas e serviços do negócio.

Cada uma dessas áreas é descrita objetiva e claramente em uma parte do mapa. Por exemplo, no campo financeiro poderia ser o caso de incluir a necessidade de aumentar o lucro líquido em 20%; na de clientes o índice de satisfação em 10% e da eficiência do atendimento; na interna a produtividade em 15%; e, na de recursos, capacitar a equipe e implantar novos sistemas de gestão.

Qual a maneira de implementá-lo?

Agora que temos uma ideia mais clara sobre o mapa estratégico, é hora de refletir sobre como colocá-lo em prática. Primeiro, tenha em mente que ele envolve pessoas. Os princípios da liderança precisam ser utilizados para que elas desenvolvam a cultura organizacional ideal.

Desse ponto de vista, tenha em mente que o mapa estratégico é uma ferramenta. Ela não vai fazer todo o trabalho sozinha, de modo que sua equipe precisa ser capacitada. O conhecimento e o comprometimento dos colaboradores é um fator-chave para o sucesso da aplicação do mapa. Dito isso, seguem os passos de implementação:

  • determinação de objetivos: os valores, a missão e a visão da empresa são a base da metodologia;
  • elaboração das propostas de valor: o valor que você deseja entregar para realizar os objetivos acima, descrito objetivamente;
  • definição das estratégias: com base nas informações acima, você deve relacionar as estratégias para cada perspectiva do BSC;
  • promova o aprendizado e o crescimento: a execução das diretrizes depende da capacidade da empresa em transmitir o conhecimento que a equipe precisa para usar o mapa e promover o crescimento do negócio.

Qual o papel do propósito do negócio no mapa estratégico?

Os valores, a missão e a visão da organização descrevem o motivo dela existir, a forma como ela se percebe realizando esse objetivo e os princípios que ela carrega nesse caminho. A descrição desses aspectos também faz parte do mapa e é especialmente determinante.

Essas diretrizes precisam ser compartilhadas para que as equipes trabalhem alinhadas e engajadas. Quando os colaboradores se sentem unidos em torno desses princípios, eles têm mais do que o salário no final do mês como um objetivo. Um negócio bem-sucedido é resultado de pessoas realizadas e ninguém pode alcançar essa realização sem a definição do que é pretendido — do propósito, descrito em termos de missão, valores e visão.

Como o futuro da empresa está relacionado ao propósito?

Assim sendo, a missão, a visão e os valores da empresa formam a base da cultura organizacional que permite projetá-la no futuro. É com base nessa descrição que as pessoas constroem sua realização ao longo do tempo.

Quando cada passo, de cada participante, é dado com base nesses princípios, a caminhada fica mais leve. É como remar sozinho e passar a fazê-lo com várias pessoas em procedimentos sincronizados. Com um bom barco e com cada um remando em sincronia, liderados por uma representação clara dos objetivos, o futuro chega mais rápido e pleno.

Por fim, a adoção do mapa estratégico pode ser resumida como uma ação que promove a sinergia na organização por meio da definição clara dos objetivos em cada perspectiva do BSC, em uma representação gráfica de fácil consulta e compreensão. Nesse processo, as pessoas têm papel central.

Para complementar esse conteúdo, é fundamental saber como engajar a equipe no alcance das metas. Para isso, saiba como criar a metodologia OKR nos setores da empresa.

Você também pode gostar

Deixe um comentário