Entenda a diferença entre treinamento e desenvolvimento de pessoas

6 minutos para ler

Independentemente do porte, empresas são formadas por pessoas. Sim, existem os processos, os produtos e os serviços, mas são os colaboradores que conduzem todo o dia a dia, seja por meio de projetos estratégicos, seja por meio da execução de tarefas rotineiras, fundamentais para os objetivos organizacionais. Por isso, treinamento e desenvolvimento de pessoas são duas pautas que devem estar sempre em discussão pelos gestores. 

Mas como assim duas pautas? Pois é! Treinamento e desenvolvimento, embora muitas vezes apareçam até juntos na mesma frase, não são a mesma coisa. Os dois fazem parte do amplo conceito de capacitação, que vem sendo cada vez mais trabalhado em organizações que querem se tornar competitivas e atualizadas com o que há de melhor no mercado. 

Capacitar funcionários é o ato de tornar seus colaboradores capazes de cumprir qualquer desafio, desde os mais simples até os mais complexos. E, para conseguir atingir esse objetivo, o correto é estabelecer uma política de treinamento e desenvolvimento de pessoas que seja eficaz e efetiva.

Então, vamos conhecer um pouco mais sobre esses conceitos?

Treinamento

Cada indivíduo carrega consigo valores e comportamentos que acumula ao longo da vida. A empresa também tem seus valores que, nesse caso, formam a sua cultura organizacional. Essa cultura é absorvida pelos funcionários, que, no dia a dia, vão se tornando cada vez mais (ou menos) afeitos ao funcionamento da organização. 

Pois o treinamento nada mais é do que o processo de mudanças necessárias pelas quais os colaboradores precisam passar para se tornarem ainda mais efetivos para a empresa. Não se trata de uma modificação na essência pessoal do colaborador, mas sim de uma adequação das competências e habilidades de cada um ao que a organização precisa para atingir seus objetivos estratégicos. 

O treinamento é, portanto, uma ação (ou um conjunto de ações, que é o ideal) elaborada para que o funcionário amplie o seu repertório de competências, reunindo mais possibilidades de colaborar com os resultados gerais. 

Vamos conhecer um pouco melhor os tipos de treinamento existentes? 

Presencial

O treinamento presencial é a forma mais antiga e tradicional de oferecer capacitação aos colaboradores. E continua sendo uma das mais eficazes! O treinamento presencial pressupõe a participação direta dos responsáveis pelo conteúdo e pode assumir diversos formatos. 

Uma de suas principais vantagens, além da facilidade de se repassar todo o conteúdo, reside na possibilidade de integração, uma vez que por meio dele é possível reunir um grande número de colaboradores no mesmo ambiente, trocando experiências e conhecimentos. 

À distância

Empresas muito ramificadas enfrentam dificuldades na hora de reunir os colaboradores para um treinamento. Por isso, os cursos à distância são uma solução viável. Além de suscitarem menos custos para a empresa, as informações podem ser consultadas sempre que necessário, fazendo do curso à distância um conteúdo orgânico, que pode, inclusive, evoluir com o tempo. 

Se antigamente a distribuição de cursos à distância necessitava de estrutura física, já que eram realizados com a ajuda de fitas cassete, hoje a própria rede corporativa possibilita que os colaboradores tenham acesso aos conteúdos instantaneamente, com alguns cliques, em sua estação de trabalho. 

Reuniões

O papel das lideranças é fundamental na capacitação dos colaboradores. E, por isso, as reuniões são um importante instrumento de treinamento, adequadas não apenas para discutir processos e projetos, como também para se aprofundar em questões mais particulares de cada colaborador. 

Além das reuniões semanais de trabalho, o ideal é programar encontros semestrais para feedback, ressaltando pontos negativos e positivos e propondo planos de ação para aprimoramento. 

Workshops

Workshops são ótimas oportunidades de se colocar o conhecimento em prática, com a participação de muitos colaboradores. Os encontros podem ser organizados a cada três meses, girando em torno de um tema específico. 

Palestras

Além de proporcionarem integração, as palestras podem ter variações de temas que permitam a participação de vários profissionais, tanto internos quanto externos. Muitas empresas adotam o formato de palestras ministradas pelos próprios funcionários. Com isso, o conhecimento é valorizado e compartilhado com os colegas, gerando um clima de troca de informação e de motivação em toda a organização. 

Desenvolvimento

Se o treinamento é composto por ações pontuais de aprendizado, com o intuito de mergulhar o colaborador na cultura organizacional, o desenvolvimento se encarrega, como o nome indica, de desenvolver as habilidades de cada funcionário no sentido de ampliar sua capacidade de aprendizagem. O desenvolvimento é quase totalmente voltado para a função de cada profissional dentro da empresa e deve estar ligado aos objetivos estratégicos da organização. 

Nesse sentido, o papel das lideranças é fundamental. São os gestores que vão identificar as necessidades e, junto aos colaboradores, traçar objetivos específicos para que cada um desenvolva suas habilidades da melhor maneira possível. 

Veja algumas das principais formas de desenvolvimento no âmbito organizacional: 

Metas e objetivos

O planejamento estratégico de cada empresa deve ser desdobrado em todas as suas especificidades, para que cada colaborador tenha noção de sua importância para a obtenção do resultado final. Por isso, metas e objetivos individuais devem ser estabelecidos e perseguidos ao longo do ano. 

É importante que as metas estabelecidas sejam mensuráveis e atingíveis, de acordo com o potencial e as capacidades de cada um. Também é fundamental que sejam feitas as avaliações periódicas, para que se verifique o andamento do trabalho e possam ser implementadas eventuais correções de rota. 

Desenvolvimento fora da empresa

Como vimos, os treinamentos devem ser de responsabilidade da própria organização. Mas o desenvolvimento fica a cargo de cada funcionário, que deve buscar cursos, benchmarkings, palestras, leituras e qualquer outro recurso que possibilite a abertura a novas possibilidades profissionais. 

Porém, isso não quer dizer que a empresa não deva participar do desenvolvimento: isso pode ser feito por meio de um programa de incentivos, por exemplo. 

Integração da equipe

O trabalho em equipe é muito valorizado nos dias atuais e é papel dos gestores buscar formas de fazer com que o funcionamento do time seja o mais eficiente o possível. A integração de todos auxilia no desenvolvimento das competências, já que possibilita a troca de experiências e ideias na busca pelos melhores resultados. 

Embora as empresas de grande porte estejam mais avançadas na questão do treinamento e desenvolvimento de pessoas, é fato que todas as organizações precisam estar atentas ao tema. Por isso, mesmo aquelas de pequeno e médio porte precisam encontrar formas de qualificar o seu corpo de colaboradores constantemente.

Se você tiver alguma outra sugestão sobre este tema, participe deixando seu comentário ao final do post! 

Você também pode gostar

Deixe um comentário