O que são empresas exponenciais? Veja como promovem a inovação

empresas exponenciais
7 minutos para ler

Será que uma organização tradicional elevada ao quadrado ou ao cubo seria o suficiente para descrever empresas exponenciais?

Seria simples se a gestão de negócios fosse apenas matemática, mas é bem mais do que isso, pois envolve pessoas, a forma de trabalhar, o mercado, a concorrência e muitas variáveis de influência — algumas delas imprevisíveis.

Mesmo se tratando de um desafio, temos vários exemplos de empresas que conquistam resultados exponenciais em relação aos negócios convencionais. Algumas delas com relativa facilidade, devido ao formato e à origem.

Este texto é sobre esses empreendimentos, suas características, seus métodos e planos, empresas que nascem pequenas e crescem com muita rapidez. Confira e inspire-se!

O que são empresas exponenciais?

O termo Organizações Exponenciais é o título de um livro editado em 2014 que descreve empresas que, quando comparadas às tradicionais, causam impacto muito superior no mercado.

Normalmente, esses negócios têm enorme capacidade de crescimento e característica disruptiva, com forte vocação para inovar e resolver problemas. Essa capacidade de crescimento costuma ocorrer em função de maior flexibilidade e uma estrutura mais dinâmica a que é aplicada pelas empresas que seguem um modelo de gestão tradicional.

Por isso, configura-se como uma oportunidade importante para pequenos negócios, que têm mais facilidade de se adaptar ao modelo e usar o conceito das organizações exponenciais para crescer.

Quais são os diferenciais das organizações exponenciais?

Para deixar mais claro o que são as organizações exponenciais, vamos descrever os principais diferenciais delas em relação às empresas convencionais. Confira nos próximos tópicos!

E fica a dica, mesmo sua empresa não se encaixando plenamente no conceito de exponencial, analise cada tópico e pense como trazê-lo um pouco para sua realidade.

Capacidade de escala

Imagine, por exemplo, uma empresa prestadora de serviços que baseia sua atuação no conhecimento e na capacidade de seus sócios. Como eles têm limitações de tempo, existe um patamar restrito na escala de crescimento do negócio. Depois que eles estiverem com as agendas cheias, será complexo elaborar o modo que permita o crescimento do negócio.

Da mesma maneira, empresas com processos produtivos muito complexos, ou que demandam altos investimentos para aumentar a produção, têm limites de escala evidentes. Por outro lado, organizações que usam tecnologias, como a inteligência artificial e os processos automatizados, têm mais facilidade de crescer.

Descentralização

Outra característica muito diferente dessas empresas é que elas não seguem o modelo hierárquico de gestão das empresas tradicionais. A decisão é descentralizada, e os colaboradores participam da solução de problemas com a sugestão de alternativas. Além disso, muitas das decisões são baseadas em dados e indicadores, diminuindo a importância de decisões que usam da intuição e do feeling de algumas lideranças.

Outro ponto importante é que a centralização também é um fator que dificulta o crescimento em escala, uma vez que prejudica a dinâmica da operação e o processo decisório, criando uma dependência maior de um número reduzido de pessoas.

Flexibilidade

Os processos das organizações exponenciais também são muito mais flexíveis do que os encontrados nas empresas convencionais. Um gestor mais acostumado com o método tradicional pode assustar-se ao notar as variações de soluções em uma empresa exponencial, uma vez que, no método tradicional, isso cria dificuldade de controle.

No entanto, esse não é um problema dessas empresas, que contam com a tecnologia e uma visão clara da necessidade de personalização como forma de fidelização e entrega de uma boa experiência de compra.

Tecnologia

Nesse contexto, é fácil notar que é praticamente impossível desenvolver uma empresa exponencial sem uso de tecnologia. Ela é usada para automatizar processos e resolver problemas de um modo mais eficiente que a gestão tradicional, garantindo que, mesmo com maior flexibilidade e uma dinâmica mais intensa, o controle eficiente seja mantido.

Propósito

Outro fator determinante das empresas exponenciais é que elas são baseadas em torno de um propósito comum muito claro, normalmente disruptivo, que serve de guia e motivação para o engajamento de todos os colaboradores.

É muito comum que essas empresas considerem de modo especial suas funções sociais e busquem resolver problemas, como o trânsito excessivo, poluição, e assim por diante.

Quais são os exemplos de organizações exponenciais?

Não faltam exemplos de empresas exponenciais, e, ao conhecer suas características nos tópicos anteriores, você já deve ter se lembrado de algumas delas, como Netflix, AirBnb e Uber. Basicamente, os exemplos mais comuns podem ser classificados de duas maneiras.

Modelos de assinatura

O usuário paga uma assinatura mensal para ter acesso ao serviço, como ocorre com as empresas que entregam mensalmente vinhos e cervejas especiais, como o Wine e o Clube do Malte.

Modelos de compartilhamento

Operam com alternativas para compartilhamento de carros, como os aplicativos de caronas de viagem. Isso não significa que as empresas exponenciais estão limitadas a essas duas classificações, apenas que elas são bastante comuns.

Qual é a importância de trabalhar com métodos eficientes e boas práticas?

O controle rígido e pontual das empresas tradicionais dificulta adaptações e, ao mesmo tempo, impede problemas mais graves gerados pela falta de controle. Para garantir a mesma eficiência com flexibilidade, as organizações exponenciais precisam adotar práticas eficientes e metodologias funcionais.

Métodos como o Design Thinking e as boas práticas de gestão são fundamentais para garantir a dinâmica e a eficiência dessas empresas.

Como as empresas exponenciais promovem a inovação?

A gestão da inovação é determinante para uma empresa exponencial. Ela garante o desenvolvimento de soluções melhores, mais eficientes e baratas. Algumas vezes, para substituir alternativas tradicionais, outras para resolver problemas com os quais convivemos sem nos darmos conta disso — ou quem reclamaria do celular antes dos smartphones de hoje?

Para funcionar, a gestão da inovação depende de um sistema funcional de criação, análise, seleção, prototipagem e desenvolvimento de produtos e serviços novos e relevantes. Para entender, considere que a inovação é diferente da simples invenção.

Ideias criativas podem gerar produtos e serviços encantadores, mas eles serão condenados a se tornarem peças de museu, se não for possível colocá-los no mercado. Por isso, a inovação depende diretamente da aceitação do público. É a aplicação bem-sucedida de algo novo que caracteriza a inovação.

Os três fatores essenciais para uma empresa inovar

Nesse contexto, existem vários fatores de extrema importância para inovar, como a criação de um ambiente adequado, que não seja tão rígido com relação à cobrança por evitar erros. Contudo, esses fatores podem ser resumidos em três.

Criatividade

Para criar soluções melhores para os problemas identificados, é preciso desenvolver a capacidade criativa de um modo especial, ou seja, capaz de atender aos objetivos específicos.

Viabilidade

Por mais criativa que seja uma solução, ela não terá futuro se não for viável, seja economicamente, seja do aspecto operacional, seja em razão da capacidade de escala. 

Demanda

A inovação depende, como adiantamos, da aceitação do público. Resolver um problema vivido por uma única pessoa, ou por um grupo pequeno de indivíduos, não vai sustentar um negócio no longo prazo.

Desse modo, concluímos nosso texto sobre empresas exponenciais. De forma resumida, podemos, então, definir esses empreendimentos como negócios inovadores, dinâmicos, com potencial de crescimento e capacidade de desenvolver soluções únicas.

Para se aprofundar sobre o tema, confira a postagem complementar que separamos para você e saiba os motivos para trabalhar com inovação e desenvolvimento de novos produtos.

Você também pode gostar

Deixe um comentário